Casa de campo à beira de uma represa: inspire-se com projeto de reforma

O desejo do casal era ter uma casa ampla, com muita madeira e vidro, sem perder nenhum pedacinho da vista da represa. O desafio foi fazer isso aproveitando ao máximo a estrutura da casa que já existia. Veja o projeto!

Texto M.N. Nunes | Fotos Carolina Ribeiro

Um ano inteiro de estudos, outro de construção. Até que, em maio de 2010, o casal pôde inaugurar sua casa de campo à beira de uma represa no interior de São Paulo, praticamente reconstruída a partir da casa que já existia no terreno de 1.600 m2. O projeto realizado foi de reforma sim, mas foram feitas tantas mudanças e ampliações que uma residência praticamente nova surgiu. Com uma lista de pedidos que incluía amplitude, muito vidro e madeira, e vista o mais ampla possível da represa em frente, o casal encomendou ao escritório Idea/3 o seu refúgio de lazer. Da antiga casa de suíte única e dois quartos, o projeto coordenado pela arquiteta Marta Martins resultou em cinco suítes, cozinha integrada à sala de estar com balcão e churrasqueira interna, e uma área de lazer ampliada junto à piscina, com direito a espaço gourmet. Tudo distribuído em 380 m2 e seguindo um estilo ao mesmo tempo rústico e contemporâneo.

SEM LAJES DE COBERTURA, os forros de cumaru acompanham as inclinações do telhado na área social com pé-direito elevado. Exibindo piso de porcelanato, o ambiente comporta salas de estar e de jantar, além de cozinha com balcão revestido de cerâmica rústica e com tampo de madeira de demolição.

 

PEÇA DE DESTAQUE na área social, o balcão com frontão revestido de cerâmica rústica Del Favero tem tampo de madeira de demolição. A parede do fundo recebeu revestimento de tijolos de demolição
MUITO VIDRO PARA GARANTIR VISÃO plena da represa foi um dos pedidos dos proprietários, o que resultou em uma casa transparente. O toque rústico que convém a uma casa de campo ficou por conta da madeira. A estrutura de alvenaria da casa que já existia no terreno foi mantida quando possível
TOTALMENTE NOVO, o espaço gourmet conta com grandes portas de correr envidraçadas, para ser usado em qualquer época do ano. Sua estrutura, como a de toda a casa, é de alvenaria, com os pilares foram revestidos de madeira. A piscina, ao lado, também recebeu apenas novo revestimento vinílico. Ao redor, o piso é de arenito
PEDRAS MOLEDO REVESTEM A FACHADA, escolhidas porque os muros que já existiam na propriedade eram feitos desse material. Os caixilhos de madeira são fechados com vidro incolor temperado. E os jogos de telhados em duas águas, com telhas de cerâmica mescladas

 

Para conseguir espaço para as cinco suítes, a arquiteta propôs a construção do piso superior, para onde foram deslocados o cômodo do casal e as acomodações dos filhos. Tudo com ampla visão da represa. Esse bloco íntimo é interligado ao outro, o social, por um grande pergolado de madeira cumaru, com pequenas ripas entre as vigas de sustentação da cobertura para reduzir a incidência solar e permitir que a área seja usada também em dias quentes.

Apesar de ser a madeira o material de construção que mais se destaca no visual, a base da construção é toda de alvenaria. A estrutura que já existia na casa anterior foi aproveitada ao máximo (equacionar custos era uma das necessidades da obra), principalmente fundações. A madeira cumaru entra como acabamento em caixilhos, deques externos que fazem papel de varanda e forros. Quanto aos telhados em duas águas, são fechados com telhas de cerâmica mescladas.

Já o antigo anexo da churrasqueira era pequeno demais para os objetivos da família – que tem a cozinha como hobby. Foi demolido para dar lugar a uma área inteiramente nova, de alvenaria, com pilares revestidos de madeira e grandes portas de correr, que permitem o uso em qualquer estação climática – seja no calor, quando a piscina ali ao lado torna o espaço ainda mais convidativo, ou no frio, em que basta fechar as portas para curtir refeições entre amigos em um espaço quentinho.

Para chegar até ali, por sugestão da equipe da Cenário Paisagismo, foi construída uma escada de madeira, que ajuda a vencer o desnível de 4 m de forma confortável e integrada ao conjunto arquitetônico – e também à natureza do entorno, tão importante para os moradores. Pode-se dizer o mesmo do revestimento da fachada – as pedras moledo, escolhidas para dar continuidade ao visual dos muros que já existiam na propriedade, parecem ressaltar que a modernidade da casa serve a um único propósito: proporcionar conforto e integração com o meio ambiente.

Confira quem fez: 
Arquitetura: Idea/3 Arquitetos Associados
Construção: Alberto e Kátia Ratz Construtora
Paisagismo: Cenário Paisagismo
Porcelanato: Portobello
Cerâmicas: Del Favero

Revista Casa & Construção Ed. 80