Como usar a madeira sem deixar o espaço pesado

Texto Giulia Esposito | Adaptação Web Evelyn Cristine

Como usar a madeira sem deixar o espaço pesado? Te ensinamos agora como combiná-las entre si e a harmonizá-las a outros elementos e materiais, preservando a leveza e a claridade no lar. Confira!

Como usar a madeira sem deixar o espaço pesado
Projeto: Studio ArquitetUras | Foto: Divulgação/ Luis Gomes

Versátil e de fácil combinação, a madeira é um grande trunfo nos ambientes. Propriedades como conforto, resistência, desempenho acústico e isolamento térmico também fazem dela uma das queridinhas. No entanto, utilizá-la em excesso pode comprometer o seu visual e o aconchego tão característicos. Acertar na iluminação, nos tons, nos materiais e nos tecidos e em combinações harmônicas para compor com o material é o segredo para usufruir de todos os benefícios dela. Confira algumas dicas!

1. Claras

Ambientes de estilo escandinavo ou com linguagem moderna ou minimalista ficam muito bem com madeiras claras, a exemplo do carvalho e do fresno claro, que trazem leveza e amplitude. “Os modelos mais esbranquiçados estão em alta. Já as amareladas, como o pau-marfim, remetem a uma decoração ultrapassada. Fuja delas”, alerta a arquiteta Luciana Uras, sócia do Studio ArquitetUras. “As claras são indicadas para quem tem medo de errar na hora de usar a madeira, pois permitem um contraste maior com elementos decorativos, como almofadas e tapetes coloridos”, acrescenta o arquiteto Marcelo Rosset. Embora costumeiramente usadas em ambientes pequenos, podem ser também aplicadas em grandes áreas.

2. Escuras

Madeiras escuras e de demolição são ideais para ambientes grandes e prometem aconchego e elegância, desde que utilizadas sem exageros. A recomendação das arquitetas Renata Castilho e Camila Buciani, da RCB Arquitetura e Design de Interiores, é seu uso delas em pisos se o objetivo é ter um ambiente imponente. Cumaru, acácio e ébano são alguns exemplos. Nesse caso, invista em móveis, tapetes e revestimentos de parede de tons claros. Pisos claros, ao contrário, permitem o uso de madeira escura no mobiliário e em detalhes da marcenaria.

3. Combinando madeiras

Como usar a madeira sem deixar o espaço pesado
Projeto: Studio ArquitetUras | Foto: Divulgação / Luis Gomes

Para harmonizar tipos de madeira, as arquitetas Daniele Okuhara e Beatriz Ottaiano, do doob arquitetura, dão a dica das tonalidades semelhantes: “Se optarmos por um piso em cumaru, por exemplo, os móveis podem ser de freijó, pois os dois têm a base de cor mel. Funciona assim também com o tauari e o carvalho americano, ou com a sucupira e a nogueira”, orientam. “A variação dentro do ton sur ton promove a uniformidade”, garante a arquiteta Caroline Bollman. De outro lado, Luciana Uras sugere o contraste: “Se a parede for revestida por pínus, as cadeiras podem ser ébano. A contraposição é instigante”, afirma. Madeiras com mais de uma cor, como a pau-ferro, de fundo claro e com rajadas escuras, também compõem elegantemente com móveis de tom mais escuro ou mais claro.

4. Cores e mais cores

Como usar a madeira sem deixar o espaço pesado
Projeto: Studio ArquitetUras |Foto: Divulgação / Luis Gomes

A madeira aceita todas as cores, desde que haja equilíbrio entre o claro e o escuro. Madeiras claras podem ser combinadas a elementos coloridos e, como grande parte delas puxa para o amarelado, cor quente, utilizar variações de cinza é um meio de trazer um tom mais frio. Um pouco de brilho cai bem quando a madeira for fosca e houver elementos de cores escuras. Se o piso for escuro, o uso de um tapete claro é peça-chave para trazer luz e permitir alguns móveis também escuros, segundo Daniele e Beatriz. “Dessa forma, você evita cair na armadilha de usar só móveis e tecidos beges. Se o tapete for cinza-claro ou off-white, por exemplo, nada impede o uso de poltronas cinza com mais personalidade ou de tom fendi escuro”, reforçam. Pontos de luz, como o amarelo ou o laranja, também são bem-vindos nessas composições. Já os tons preto e marrom devem ser usados com parcimônia.

5. aliados

Invista em materiais que valorizam a “naturalidade” da madeira, como couros e revestimentos mais naturais. O cimento queimado também cai bem, porque, além de tudo, equilibra o “calor” do material –
assim como mármores, pedras e aço inox. O toque industrial, a propósito, em ambientes com madeira é muito atual. “Aposte em móveis que mesclam metal e madeira, como mesas com pés de metal e tampo de madeira de demolição”, recomenda Luciana. Modere na madeira quando for aliá-la ao tijolinho de demolição, por exemplo, que também é quente e de tom similar.

Revista Casa & Construção – Ed. 136

Como-usar-a-madeira-sem-deixar-o-espaço-pesado