Como usar espelhos na decoração?

Texto Daniela Espinelli e Davi Vieira | Adaptação Web Evelyn Cristine

Unanimidade entre os arquitetos, esse recurso é um curinga para trazer amplitude visual, refletir iluminação natural e criar interessantes efeitos decorativos. Veja a seguir como usar espelhos na decoração!

O posicionamento tradicional e curinga, atrás do jantar, com o acabamento clássico, o bisotê. | Projeto, Leonardo Junqueira | Foto: J. Vilhora / Divulgação

Antigamente esse revestimento era tido como artigo de luxo, já que apenas figurava em residências da alta sociedade e nos castelos suntuosos das famílias reais, entretanto, na época da Revolução Industrial, seu preço baixou de forma significativa e o espelho se popularizou. Hoje, o artigo pode ser encontrado em todos os ambientes da casa e ser usado de diferentes maneiras, em vários formatos e como artigo importante para propor sensações ou otimizar os espaços. Lançamos o tema nas redes sociais da revista Casa&Construção e, para esclarecer as principais dúvidas, conversamos com a Silvestre Vidros – empresa especialista em vidros e espelhos – e com os arquitetos Bruno Carvalho e Leonardo Junqueira.

Tipos existentes

O arquiteto Bruno Carvalho explica que existem as versões que vão desde os tradicionais espelhos de vidro (com diversas variações) aos de cristal, que são mais cristalinos, e, consequentemente, mais caros. Já a Silvestre aponta também cristal de prata, cristal bronze e cristal fumé, além das técnicas que deixam os espelhos bisotados/facetados e lapidados.

Bisotado ou facetado

Essa técnica é caracterizada pelo efeito chanfrado, com uma espécie de moldura delicada, e por esse motivo custa mais caro que as versões convencionais. Existem modelos a partir de R$ 150 e, apesar de o formato mais tradicional ser uma única moldura nas quatro bordas da peça, também existem modelos mais ousados, que criam propostas geométricas ou inusitadas.

Lapidado

É um processo de corte das bordas, o que as torna não cortantes às mãos. Modelos simples a partir de R$ 100.

A melhor parede

Não há fórmula para escolher a parede ideal para um espelho porque tudo depende do efeito que deseja inserir ao espaço e, claro, do layout da residência. Porém, as posições mais comuns são em frente a portas e janelas, favorecendo vista e claridade, ou, quando se trata de locais diminutos, em alvenarias que criam barreiras visuais, ou seja, que dão a sensação de “aperto”.

Dicas espertas

• Pense bem onde vai posicionar o seu espelho. Um visual de prédios pode não ser uma bela vista a ser refletida

• Se mora em um local muito compacto, apostar em uma parede muito grande com um espelho bem trabalhado, em uma versão fumé, por exemplo, pode ser cansativo

• Cuidado com a luz quando for pensar em como posicioná-lo. Embora seja ótimo para trazer mais claridade, ninguém gosta de um reflexo de iluminação “agredindo” os olhos.

Quer ver mais dicas de acabamento e decoração?
Então corra para as bancas ou garanta a Revista Casa & Construção – Ed. 139 pelo site!