De quanto em quanto tempo temos que renovar a pintura de casa?

A tinta é, sem dúvida, a opção mais barata para renovar ambientes. Embora sua técnica seja simples, contém truques para que se torne mais fácil e duradoura. Em nossas redes sociais, a pergunta acima foi lançada e os internautas mandaram suas dúvidas. Para acabar com qualquer questionamento, a revista Casa&Construção reuniu um “esquadrão”: a arquiteta Andrea Pontes e os profissionais Eginaldo Frazão, gerente de marketing da Sherwin-Williams; Henrique Ramos, gerente de atendimento ao consumidor da Suvinil; e William Saraiva, gerente de produtos da Lukscolor.

Qual escolher?

A leitora Mariana Albuquerque pensou em usar a tinta econômica para pintar a fachada porque tem um preço mais acessível, mas não sabe se é a melhor opção. Henrique Ramos explica que existem três tipos de categoria: Premium, Standard e Econômica. A diferença entre elas está no nível de qualidade, durabilidade e poder de cobertura. “Podemos dizer que o resultado da Premium é excelente, da Standard é ótimo e da Econômica é bom”, detalha o gerente de atendimento ao consumidor e serviços ao mercado da Suvinil. No entanto, como pontua Eginaldo Frazão, da Sherwin Williams, as tintas econômicas, apesar do menor desembolso, são indicadas apenas para superfícies internas, pois a resistência a intempéries é menor. Para entender um pouco melhor a diferença entre elas, a arquiteta Andrea Pontes detalha:

De quanto em quanto tempo temos que renovar a pintura de casa?

Econômica

Indicada apenas para superfícies internas por ser pouco resistente às ações do tempo. Possui poucas opções de acabamento (no geral, só fosco) e de cores, mas é a que tem o menor custo entre as categorias. Durabilidade de até dois anos.

Standard

Indicada para superfícies internas e externas, com alto rendimento, boa cobertura e proteção contra umidade e mofo. Em geral, tem menos opções de acabamento, sendo a sua maioria na versão fosca. Durabilidade de até três anos em áreas internas e dois em externas.

Premium

Indicada para superfícies internas e externas, com o melhor poder de cobertura e resistência, maior variedade de acabamentos (fosco, acetinado e semibrilho) e de cores (que também não desbotam tão facilmente). Durabilidade de até cinco anos em áreas internas e quatro em externas. Além disso, alguns fabricantes trazem inovações como tintas superlávaveis, cores exclusivas etc.

Tem época certa?

O advogado paulista Felipe Soares gostaria de aproveitar suas férias para pintar a casa, mas não sabe se é o momento ideal. É consenso entre os consultores que épocas de chuvas ou muito úmidas não são ideais porque dificultam o tempo de secagem entre as demãos ou podem impossibilitar a aplicação (no caso das áreas externas, por exemplo). Por outro lado, climas muito secos e quentes também não são tão favoráveis, já que dificultam que a tinta seja espalhada. O segredo, como explica Eginaldo, é tentar fazer a pintura da casa em períodos em que a umidade do ar está acima de 10% e evitar as épocas chuvosas. No entanto, William Saraiva, gerente de produtos da Lukscolor, garante que todos os detalhes referentes a isso se encontram no próprio produto: “Na embalagem, por exemplo, há informação de que a tinta látex Premium Plus não deve ser aplicada em ambientes com temperatura inferior a 10ºC ou superior a 35ºC, ou ainda se a umidade relativa do ar for maior que 90%”.

Quando repintar?

Apesar de cada categoria de tinta ter uma vida útil que dá uma ideia de quando deve ser renovada, o tempo que realmente vai durar depende de vários fatores, como o clima, a exposição ao sol, a forma de aplicação etc. No entanto, de acordo com Henrique Ramos, quando se utiliza uma categoria superior, como a Premium, se as agressões externas não são tão fortes – como em áreas litorâneas, por exemplo –, a pintura pode ser mantida por até 10 anos. Por outro lado, como explica William Saraiva, os indicadores de uma nova pintura são fatores como bolhas, desbotamento e descascamento.

Descubra qual a  tinta ideal para cada ambiente

Tinta látex

Feita à base de água, seca rapidamente. Entre os vários tipos, o PVA é o mais indicado para as áreas internas, pois pode ser limpo apenas com um pano úmido.

Tinta acrílica

Na verdade, é um modelo de tinta látex, mas que contém resinas acrílicas em sua composição. Entre suas características, é impermeável, sendo ideal para áreas externas. Pode ser usada em áreas molhadas, como banheiros e cozinhas.

Tinta epóxi

À base de resina epóxi, tem alta resistência à umidade, a produtos químicos e à abrasão. Além disso, adere bem a diversas superfícies, como pisos de cimento queimado, azulejos, ferro e aço. Por não ser solúvel em água, deve ser aplicada por mão de obra especializada.

Tinta esmalte

Pode ser aplicada na madeira ou em materiais ferrosos. Não é recomendável usá-la em parede, pois pode formar bolhas.

Tinta verniz

É uma composição líquida que se converte em um filme sólido e transparente depois de aplicada em uma fina camada protetora. Usada em madeiras de ambientes externos.

* Fonte: Andrea Pontes

Revista Casa & Construção Ed. 130

Quer ver mais dicas de decoração? Então, corra já para as bancas ou garanta a sua revista Casa & Construção pelo site!

De-quanto-em-quanto-tempo-temos-que-renovar-a-pintura-de-casa